domingo, 7 de maio de 2017

Qual alimento introduzir?

Quando se é mãe ou pai de alérgico, as introduções e o controle de quais alimentos já testou, quando e quantas vezes, fica bem complicado depois de um tempo mais longo de alergia. Ajustar e escolher os alimentos também dependem das informações de histórico de reações e os resultados dos testes cutâneos.
Compartilho com vocês a planilha que eu uso com o Diego já a bastante tempo e que deixo sempre a mão na cozinha para escolher as introduções e depois a uso para relatar na consulta os sintomas de alergia caso forem alimentos reprovados ou para comunicar as evoluções e aprovações. Por essa tabela também fica mais fácil entender porque em determinado período usou corticoide ou antialérgico.
Se tiverem alguma dúvida no preenchimento, fiquem à vontade para perguntar ok? De preferência na página do Planeta Alergia no Facebook ou no Blog do Abobrinhas-aplv para que fique mais fácil eu gerenciar e responder a todos, ok?
Abraço e boa semana!

Luciana Carlos


PARA BAIXAR A TABELA ACESSE: http://www.planetaalergia.com.br/tabela-alimentos.html

terça-feira, 2 de maio de 2017

Lergia x Proteína

Alergia X Proteína
Os alérgenos alimentares são, em sua maior parte, representados por glicoproteínas hidrossolúveis.
No quadro abaixo, você pode verificar algumas glicoproteínas comumente envolvidas nas alergias alimentares.
Leite de vaca => Betalactoglobulina, Alfa-, beta- e capa-caseína, Alfa-lactoalbumina.
Clara de ovo => Ovomucoide, Ovoalbumina, Ovotransferrina.
Amendoim => Vicilina, Conglutina, Glicinina.
Peixe => Parvalbumina
Camarão e Lagosta => Tropomiosina
Castanha-do-pará e nozes => Albumina 2S
Fonte adaptada de Morais & Fagundes- Neto, 2003.
Segundo o Codex Alimentarius (Food and Agriculture Organization of the United Nations/World Health Organization), os alimentos e ingredientes potencialmente alérgenos e que causam reações mais graves são:
·         Cereais que contém glúten.
·         Crustáceos e produtos derivados.
·         Ovos e produtos derivados.
·         Peixes e produtos derivados.
·         Amendoim, soja e produtos derivados.
·         Leite e produtos lácteos.
·         Nozes e produtos derivados.
·         Aditivo alimentar sulfito em concentrações de 10mg por quilograma de produto.

Os alérgenos alimentares podem estimular resposta imunológica humoral, por meio da imunoglobulina E (IgE), ou celular (nas reações não mediadas por IgE).




quinta-feira, 27 de abril de 2017

Substituindo ingredientes nas receitas

Se você é daquelas que querem inovar na cozinha e proporcionar ao seu alérgico uma varidade de opções de alimentos tal como uma pessoa não alérgica, você precisa aprender a substituir os ingredientes.
Claro que algumas substituições devem ser testadas de acordo com o clima, e usando um pouco de sua habilidade culinária, mas de um modo geral, elas dão certo.

Como fazer as substituições nas receitas que já faço uso em casa?

Leite de vaca:
Substitua uma xícara de leite por:
è 1 xícara de leite vegetal, como leite de coco, de amêndoas, de arroz, de quinua, de painço, de amaranto, de girassol, de castanhas, ou;
è 1 xícara de água (pães ficam ótimos com água) ou;
è 1 xícara de suco de fruta (maçã ou laranja são boas pedidas em bolos);

Buttermilk:
Substitua uma xícara de buttermilk por:
è 1 xícara de leite de soja com 1 colher das de sopa de suco de limão ou vinagre branco. Deixe descansar para engrossar ou;
è 1 xícara de leite de coco ou;
è 3/4 de xícara de leite de arroz;
Nota: Se o buttermilk pedido for em pó, retire-o e substitua a quantidade de líquido pedido pelas proporções adequadas.

Iogurte:
Substitua uma xícara de iogurte por:
è 1 xícara de iogurte de soja ou;
è 1 xícara de creme de leite de soja, creme de leite caseiro do blog ou creme de leite de arroz = uma colher das de sopa de suco de limão ou;
è 1 xícara de purê de maçã ou;
è 1 xícara de purê de banana.

Manteiga:
Substitua 1 xícara de manteiga por:
è 1 xícara de ghee ou;
è 1 xícara de gordura de palma ou;
è 1 xícara de banha de porco (em receitas salgadas) ou;
è 1 xícara de óleo (em bolos);

Ovos:
Substitua um ovo por:
è 1/4 de xícara de purê de maçã e aumente o fermento químico em uma colher das de chá ou;
è 1/2 banana bem amassada ou;
è Egg-replacer da Ener-G (sem glúten), 1 e 1/2 colheres das de chá para 2 colheres das de sopa de água. Este produto não encontra-se a venda no Brasil, mas é possível comprá-lo em sites internacionais que o enviam sem maiores problemas.Ou;
è 1 colher das de sopa de farinha de linhaça + 3 colheres das de sopa de água morna. Deixe descansar por alguns minutos e empregue.
Nota: Nunca faça substituição de ovos em receitas que utilizam mais do que dois ovos. Mesmo assim, nem todas as receitas ficam boas.

Farinhas:

Fubá:
Substitua 1 xícara por:
è 1 xícara de farinha de trigo sarraceno, farinha de amêndoas, farinha de acaçá, farinha de grão de bico.
Amido de milho:
è 1 xícara de araruta, polvilho, fécula de mandioca, fécula de batata.
Farinha de arroz:
è 1 xícara de farinha de sorgo que não existe no Brasil.
Espessante: O CMC pode ser substituído por igual quantidade de goma xantana ou por goma guar.

Farinha de trigo:
Substitua 1 xícara de farinha de trigo por uma das misturas abaixo:

è  Mistura sem glúten tradicional:
o   2 xícaras de farinha de arroz branca ou integral ou;
o   2/3 de xícara de fécula de batata ou;
o   1/3 de xícara de polvilho doce.
Misture tudo e empregue.

è  Mistura sem glúten proteica:
o   1 e 1/4 de xícara de farinha de grão de bico ou;
o   1 xícara de farinha de arroz ou;
o   1 xícara de fécula de batata ou;

o   1 xícara de polvilho ou amido de milho.



Fontes: Autismo - Esperança pela Nutrição / Acervo de mães de crianças aplv.

terça-feira, 25 de abril de 2017

O livro de uma mãe de alérgico alimentar! Uma história e várias dicas!


É com muito orgulho que nós divulgamos esse vídeo de lançamento da mamãe Luciana, que conta um pouco da sua emocionante experiência como mãe de alérgico alimentar, e compartiha seus momentos e eperiências!



Para adquirir o seu livro, basta clicar aqui: https://go.hotmart.com/J5692776R

domingo, 23 de abril de 2017

Iniciando dieta APLV

Orientações fundamentais no início da dieta isenta de leite de vaca

Algumas informações básicas são indispensáveis quando se dá orientação a um paciente cuja dieta deverá ser isenta de leite e vaca e derivados:

Nenhum produto ou preparação que contenha leite de vaca pode ser utilizado.
Não se devem comprar alimentos cujo rótulo não traga a relação completa dos ingredientes.
Em caso de dúvidas, sempre se deve contatar os serviços de atendimento ao consumidor (SAC) e/ou um nutricionista.
Durante a vigência de dieta isenta de leite de vaca, não de devem utilizar outros leites, como de búfala, cabra ou ovelha.
Não comprar produtos vendidos sem embalagem.
Apesar de implicarem mais trabalho, alimentos produzidos em casa podem ser mais seguros do que alimentos industrializados.
É obrigatório a leitura do rótulo de todos os alimentos a serem consumidos, mesmo daqueles de uso habitual, pois sua composição pode ter sofrido modificações.
Identificar, no rótulo, a presença de leite de vaca no alimento, buscando a palavra ¨leite¨ ou termos a ele relacionados.

Exemplos: caseína, caseinato, soro de leite, leite em pó, margarina, manteiga, alfalactoalbumina, betalactoglobulina, globulina sérica bovina, albumina sérica bovina, etc.
Quando se trata de alergia ao leite de vaca, deve-se atentar para o risco de contaminação não intencional, pois componentes desse leite podem estar presentes em comprimidos, cápsulas, sabonetes, cremes, faciais, xampus e medicamentos de uso inalatórios para asma. Portanto, faz-se necessária a leitura atenta de todos os rótulos, para evitar contato do indivíduo suscetível com o alérgeno.



Fonte de imagem: www.boaformaesaude.com.br